quarta-feira, 15 de abril de 2009

Plano de seguimento

.
Seguia ele escrevendo um roteiro de viagem para dentro do seu quarto. Roteiro de viagem para dentro do seu quarto? Quem imaginara tal loucura ele se perguntava. Uma vez conversou com seu próprio reflexo, entre uma conversa ou outra chegaram à conclusão que ambos pensavam diferentes.

Quanto tempo estou preso nesse quarto? Dias? Meses? Pela sujeira acumulada nas lentes do meu óculos acho que não parece tanto assim. Fome? Sinto de vez em quando, aprendi a conviver tomando um pouco de água e comendo alguma tranqueira qualquer. Ah que bela musica toca no rádio, uma pena eu não saber o nome nem o autor dela. Com certeza ela será tocada uma outra vez, pois é uma bela canção.

Chovia tanto lá fora que o vento parecia querer arrebentar sua janela. Teve que parar no meio da sua inspiração para colocar alguns panos para pararem de tremer. Olhou para a rua e viu as pessoas correrem, mas desta vez não se importou tanto em observar elas lá fora, havia se cansado um pouco disso talvez. Pegou uma caixa e abriu, tinha tantos sonhos lá dentro que se pôs a sorrir, felicidade andava com ele novamente.

Calçou seu par de meias furada junto com seu tênis quase sem sola. Seu bom humor, de tão contagiante que estava, achou engraçado sua situação. Sentia-se cansado, mas não fazia idéia do motivo pela qual encontrava-se diante de tanta fadiga. Não parava quieto e não conseguia ouvir uma música inteira. Caminhou até o banheiro e lavou seu rosto, ao subir deu de cara com seu reflexo em meio ao espelho. Outra discussão? Arriscou um sorriso e foi recebido com o mesmo gesto. Enfim, seu reflexo e o bom homem haviam concordado depois de um longo tempo.

2 comentários:

Gui Maldotti disse...

Velho! animal!
Seus textos sempre misturam coisas como uma situação foda, mas q o cara continua feliz, mesmo com suas crises existencias.. sei la! loco! abraço!

dudu oliva disse...

Muito bom! Mostra um surto vertiginoso. Gosto deste estilo.