segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Keep Walking

.
Peguei alguns trocados que estavam espalhados pela gaveta e conferi. Havia dezessete reais e mais alguns centavos que tive folga de contar. Com o dinheiro decidi comprar um livro no sebo próximo de casa para passar o tempo nas horas vagas. As horas que ultimamente andavam vagas demais. No caminho eu pensava e falava sozinho, sempre tentando transformar tudo à minha volta em uma grande piada. Algumas sacadas que eu imagino são tão boas que freqüentemente eu solto um sorriso discreto para mim mesmo.

Eu levanto e durmo com medo de virar uma simples estatística em meio a tantos imbecis. Desde aquele que acha que muda o mundo dando esmolas, até aquele que acaba de desmamar em plena faculdade e acha que entende de política, gritando e discutindo com um copo de cerveja na mão a situação de nosso país. Para esse tipo de indivíduo dê-lhe os ouvidos da razão e o desprezo do silêncio.

Lá estava na minha mesa dezenas de papéis rabiscados cuja inspiração era sempre voltada para noites frias, solitárias e silenciosas. Eu me encontrava novamente em uma noite de inspiração, não sei nem mesmo dizer se é por escolha própria ou não. Conferindo alguns trechos que escrevi em diversos papéis, tentei bolar um parágrafo que fugisse do convencional, do julgamento fora de controle.

Quando a fase não é boa praticamente não existe espaço para belos pensamentos. E fugir do convencional poderia ser tornar mais perigoso do que se pode imaginar. Não quis arriscar escrever algo sem sentimento algum.

Peguei então o livro e li rapidamente em duas noites. Havia comprado o livro certo na hora errada. Isso me custou uma semana de insônia.

4 comentários:

Gabriela disse...

Tudo muito bom e bem escrito por aqui.Achei o blog pelo Twitter.
Parabéns,virei leitora.

Anna Jam disse...

Meu favorito do Paolo so far. Que livro era?
keep on... :)

Paolo Belloti disse...

Desculpe a demora Anna. Então, o livro chama "Como me tornei estúpido, de Martin Page". Não sei definir claramente como é o livro em si, mas é uma garantia de boas horas de leitura. Para quem vê a sociedade com outros olhos, tipo um pouco revoltado que nem eu sabe, vai se identificar bem. Paz

Edu Cezimbra disse...

ôpa! Bom te ler e respirar...
Grato
ABC (Abraço e beijo do Cezimbra)