segunda-feira, 31 de agosto de 2009

O despertar de um sonho

.

Esperar por respostas nunca fora sua verdadeira intenção. Sozinho em seu quarto, compondo e se esforçando ao máximo para analisar os erros que o impediram de mostrar seu verdadeiro potencial, se afogava em mágoas que nunca mais o abandonariam.

Poderia escrever uma canção para cada sentimento que o invadia. A essa altura, já eram muitos e formavam um redemoinho intenso que atingia seu peito em uma chuva de ardor e farpas.

Observando as luzes dos carros que refletiam pelo teto, começou a imaginar um mundo mágico no qual todos eram felizes. Onde os raios do sol cintilavam belos a cada manhã e o fracasso não atingia, nem mesmo, o menor dos seres. Podia correr entre as arvores e sentir a brisa deliciosa do verão. Ser amado e poder retribuir de forma verdadeira tal sentimento. Um mundo que, simplesmente, conseguisse voltar ao lar e mostrar um sorriso sincero sempre que se olhasse no espelho.

Sentado a beira de um magnífico lago, ele podia ver uma linda mulher que nadava tranquilamente pelo caminho do horizonte. O por do sol deixava sua silhueta ainda mais intrigante e sabia, mesmo sem nunca tê-la visto, que o momento de conhecê-la era aquele. A garota emanava uma energia incrível e por alguma razão, podia sentir que ela o chamava. Começava a perceber que todos os pensamentos eram guiados em sua direção. Resolveu, aos poucos, tirar suas roupas e deixá-las de lado. Quando a última peça atingiu o solo, aproximou seus pés do lago e deixou que o instinto lhe guiasse.

Nadando pelas águas mornas, lentamente foi se aproximando da garota e, finalmente, conseguiu visualizar nitidamente seu rosto. Era lindo e misterioso. Por mais que tentasse, não reconhecia, mas tinha certeza que era familiar. Os olhos negros e a pele clara como a neve o impressionavam, pois ao longe não conseguia perceber que, na realidade, a garota era ainda mais linda do que imaginava. Os cabelos escuros refletiam a luz do sol, e o sorriso sincero o emocionava de uma forma única que sua juventude não lhe permitia entender.

Enquanto se aproximava, se deu conta que a garota, agora, também nadava em sua direção. Os olhos dela iam de encontro aos seus. A água rebatia levemente em seu rosto e sua visão era preenchida pela chegada de sua desconhecida companheira. Quando se aproximaram, já era possível sentir a respiração ofegante de cada um. Cessaram o nado e passaram a se olhar sem nunca deixar de estampar um sorriso no rosto.

Alguns minutos se passaram e ele tinha a impressão que nunca havia sido tão feliz em toda sua vida. Aquele simples momento, um olhar e um pequeno sorriso haviam mudado sua breve existênica para todo o sempre. Com um gesto suave, ela estendeu sua mão direita para fora da água e proferiu seu nome. Ele entendeu o gesto e fez o mesmo. Suas mãos se aproximaram e, em um toque suave, se uniram. A felicidade invadiu seu corpo e um amor esquecido e solitário voltou a preencher seu coração.

As luzes no teto de seu quarto continuavam a brilhar, mas agora podia sentir com clareza a respiração suave da mulher que dormia abraçada ao seu lado, com a cabeça apoiada docemente em seu ombro e a mão direita que, agora, jazia solenemente sobre a sua. Havia por um momento se esquecido do que era realmente importante em sua vida. Sentia-se muito bem. Sorriu, fechou os olhos e, finalmente, adormeceu.

2 comentários:

forced2breathe disse...

Tudo o que eu queria ler, Thi...
Tudo!

TS Bovaris disse...

FANTÁStico, fiquei boa parte do texto encafifado com a mudança de ambiente, do quarto para o lago, aguardando uma explicação.

É o conto mais agradável que li nos últimos tempos.