domingo, 9 de novembro de 2008

Sai pela porta e entrei pela janela

.
Tinha decidido tomar uma cerveja. Sozinho, novamente, experimentei ouvir um pouco de meus pensamentos. Eles falavam que eu precisaria trocar minhas calças talvez, pois eu estava usando ela já fazia uma semana para ir trabalhar. Estava garoando, mas mesmo assim arrisquei acender um cigarro sabendo da probabilidade dele não permanecer aceso. Tive sorte, coisa rara, e ele assim permaneceu. Sentei e então fiz meu pedido, como se fosse necessário dizer o que desejava. Erguendo o copo comecei a fuçar no meu velho celular. Comecei pela lista, e estava fazendo uma conta de quantos valiam à pena. Não muitos.

Tinha avistado um número que não lembrava mais que existia. Era de uma garota que gostava de mim, não lembrava muita coisa com exceção de seu apelido, mogli. Naquele momento me lembrei que ainda tinha pessoas com menos sorte que eu. Uma vez dito que quem nasce para burro nunca chega a cavalo. E passam a vida inteira tentando provar que isso não interfere em nada. Poucos conseguem. O gato come o pássaro por conveniência, e não porque precisa para sobreviver. Igual os gatos as pessoas tem que demarcar território.


E assim segue a cadeia do forte para o mais fraco. Acho que demorei, mas havia tomado a lição corretamente com respeito á todos. Mas ainda havia muitas pessoas que não enxergam. Estão ocupados demais assistindo televisão. Depois de ter apreciado minha bebida, ter tido uma pequena revolta com meu mundo decidi que era hora de voltar para casa e sociabilizar com alguém. Voltando então me preparei para cuspir no chão, assim como todo bom homem, mas executei a tarefa muito mal. Droga, tinha caído bem no meu peito. Tinha esquecido por um momento que minha sorte já tinha sido válida no cigarro.

2 comentários:

Gui Maldotti disse...

è rapa, cospe pra cima que cai na cara!
hahhaha!
entaum... beber sozinho é oq rola... como eu digo... as drogas são boas companheiras....
Ichi esse fds vamos estar em boas companhuas! hahahhaa!
num le mais meu blog naum seu pandecão?!

K disse...

Muito bom!