segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Insônia



Escuto uma certa movimentação vindo de fora da janela. Um determinado conjunto de vozes atrapalha minha leitura. 1:12 da manhã não é bem um horário normal para esse tipo de vozes em uma terça-feira. Vagabundos à cantar, não importava se eram afinados, o que era válido no momento era a poesia de uma musica alegre, com tom de amargura. Apoio-me sobre a janela, as vozes agora se tornam risadas. Por um breve momento confesso sentir uma ponta de inveja, eles lá e eu cá, eles bêbados e eu sóbrio.

Um grupo estrategicamente bem distribuído, dois homens e duas mulheres. Jovens, aqui de cima podia-se reparar que eram mais novos que eu. Estavam retirando-se quando uma das garotas me acena e se apresenta, pegou-me de surpresa, não esperava tal atitude.

Demorou mas a reação veio, com um tímido balançar de minhas mãos retribui sua singela atitude. Virou-se e foi embora cantarolando. Sorri, acendi um cigarro. Droga, nem fumo mais.

2 comentários:

r. disse...

parbéns meu velho.
curti muito seu texto, sério.
continua com isso, você vai longe! muito sucesso pra ti e escreva mais!

Gui disse...

è nego! o Cigarro é uam otima companhia! hahah!